Roteiro: São Paulo reúne gastronomia do mundo inteiro e a gente preparou um tour pra lá de gostoso!

Que São Paulo é uma megalópole com influência do mundo todo isso a gente já sabe, mas pra conhecer detalhes dessas influências é preciso vivenciar a cidade, bater muita perna e pesquisar sobre o que mais lhe interessa num destino. Além de museus, exposições, grandes shows e tudo mais, São Paulo dispõe de uma rica variedade gastronômica. São muitos os restaurantes com gastronomia internacional. A gente deu um rolê pela cidade e preparou um roteiro imperdível. Vamos lá? Acompanhe a gente também no Instagram, onde você pode receber várias dicas de viagem e conhecer paisagens incríveis! É só clicar AQUI!

Indiano

Receitas milenares em pitadas de sabor! Assim é a experiência de quem vai ao Tulsi Indian Cuisine, no Brooklin Novo. Destaque para o ambiente, atendimento e principalmente o sabor, é mesmo uma “viagem” gastronômica. A ambientação da casa traz peças de arte indianas, luminárias, almofadas, todos os detalhes pensados para que o visitante se sinta lá na Índia. O som ambiente também remete ao lugar, além dos talheres, pratos, tigelas…tudo original!

Desde o século XIV, a maioria dos povos da Europa e do resto do mundo procuravam “as índias”. Esta busca frenética era patrocinada pelas cortes reais em busca de recursos para bancar as expansões de territórios e pagar os exércitos europeus. Uma das principais riquezas visionados especialmente nas “índias”,eram as especiarias. Pimenta do reino, cravo, canela, cardamomo, açafrão da terra, que tinham seus valores medidos em peso de ouro e em muitas vezes, eram consideradas mais valiosas ainda do que ouro e pedras preciosas. Daí, o sabor forte dos pratos!

A Índia foi o país precursor histórico na utilização de mais de 25 especiarias na sua rica culinária, criando ao passar dos séculos, uma verdadeira alquimia de sabores, aromas e combinações. Ao contrário à crença quase generalizada, a culinária indiana não é necessariamente “apimentada”. A pimenta é apenas uma das mais ou menos 25 especiarias utilizadas em nossa cozinha e pode ser praticamente eliminada (como fazem nos pratos da região norte da índia) ou adicionada em peso (como fazem nos pratos da região sul da índia).

O Tulsi Indian Cuisine foi inaugurado em julho de 2016, sendo hoje uma referência em SP. A proprietária do estabelecimento, Marcy Campos, é uma “estudante” nata do povo indiano, amante dos temperos e aromas típicos de lá. Inclusive, ela ministra palestras sobre os benefícios dos condimentos para a saúde, bem estar e como eles devem ser utilizados na gastronomia do dia a dia.

Não à toa o restaurante tem sabor tão autêntico. Ela montou uma equipe de indianos (nativos) e brasileiros para traduzir os sabores da forma mais verdadeira possível. Da índia, ainda trouxe um forno especial – o Tandoor – que faz o delicioso pão Naan e outras especialidades. Precisa de hotel em São Paulo? É só clicar AQUI!

Especializado em pratos da região norte da índia, suavizados com a exclusão de pimenta (em peso) e a adição de ingredientes ricos como nata, castanhas e frutas secas, o restaurante oferece uma variedade enorme de entradas, pratos principais e sobremesas. Nos bastidores do restaurante, atua uma equipe composta de cozinheiros, que acompanham esta grande culinária desde as épocas dos restaurantes indianos Ganesh e Govinda, e trazem autenticidade aos resultados, conferindo ao Tulsi restaurante o melhor cardápio da gastronomia Indiana.

O Tulsi trabalha com dois cardápios: o indiano e o internacional. É ponto de encontro de indianos em São Paulo, mas também recebe turistas hospedados no hotel onde ele está instalado e também gente de fora, pessoas que trabalham na região, etc. Dentre os campeões de saída da cozinha estão o Chicken Curry – tradicional prato do dia a dia indiano, elaborado com pedaços de coxa e sobrecoxa desossadas de frango, cozidas ao molho de curry e especiarias; o Kashimiri Macchi – filé de pintado servido ao molho cremoso de maçã, champignon, castanha de caju, uva passa e especiarias; o Meat Korma – cubos de carne bovina preparados ao creme de curry, guarnecido com nozes e ainda o Rogan Gosht – suculentos pedaços de cordeiro cozidos em iogurte, especiarias indianas e coco; além de opções de pratos vegetarianos, lanches e deliciosas sobremesas.

Provei o Forbidden Luxury: medalhões de filé mignon grelhados ao molho cremoso de especiarias, maçã, champignon e castanha de caju. É de comer re-zan-do! A sobremesa que experimentei também não deixa por menos: uma delícia! Quer a dica? Escolha o Coupe Belle Helene: pera cozida em caldo de cravo, cardamomo, canela, coberta de sorvete de creme e calda de chocolate. Entre as bebidas, uma chama a atenção: é o Lassi Tradicional, iogurte batido com água de rosas, cardamomo e castanhas de caju, tipicamente indiana!

Durante a semana (segunda à sexta), no almoço, é possivel degustar o Menu Executivo, composto por couvert, prato principal e sobremesa por um preço especial, das 12hs as 15hs ou qualquer dia da semana tanto no almoço quanto no jantar é possível solicitar o Cardápio Alternativo que é composto por pratos da cozinha Internacional.

TULSI, ou Manjericão Sagrado, também conhecida como “a rainha das ervas” (Ocimum sanctum), é muito apreciada entre os indianos devido a seu efeito calmante e capacidade de promover o bem estar. Com localização privilegiada entre duas praças arborizadas no térreo do hotel Transamerica Berrini e de fácil acesso pela Marginal Pinheiros e Av. Luis Carlos Berrini.

Serviço:

End.: R. Quintana, 1012 – Brooklin Novo, São Paulo – SP
Fone: 11 5508-5128

Horário: Almoço e Jantar: Segunda à Sexta de 12h às 23.30hs ( não fecha entre o almoço e jantar)
Sábado e Domingo de 12h às 23.30hs ( não fecha entre o almoço e jantar)

Peruano

Localizado no coração de Moema em São Paulo, o Lhamas restaurante, tem um espaço de 500 m² que atende aproximadamente 180 pessoas. Dois amplos ambientes bem decorados, conta com um salão reservado, e o apoio de dois bares, no andar superior para realização de eventos corporativos, aniversários entre outras comemorações, tudo num  espaço temático e aconchegante levando os clientes ao clima gastronômico e cultural das cidades Peruanas.

Idealizado pelos irmãos Paulo e Tito, empresários do ramo de gastronomia há mais de 15 anos, o restaurante recém – inaugurado trouxe um pouquinho do Peru para o Brasil. Pratos típicos, equipe de garçons nativos e para manter a autenticidade e o paladar originais de cada sugestão do cardápio a criação fica por conta dos chefes de cozinha peruanos que ali trabalham.


Ah! Uma grande curiosidade, do Lhamas é ter uma cozinha especial só para cuidar da elaboração do Ceviche, prato campeão na casa! Mantendo o local condicionado, para o prato chegar às mesas fresco, saboroso e na temperatura ideal que exige para essa especiaria não sofrer nenhum calor ou alteração de sabor. Já para os demais pratos do cardápio, o restaurante possuí cozinhas separadas.


Dentre as boas pedidas do local podemos destacar como entrada o carro chefe;  Ceviche de Pescado – (Trozos de pescado, marinados en zumo de limón. Acompanãdos papa y camote) R$ 44,90 para duas pessoas, simplesmente Maravilhoso! Já como prato principal  o Pescados y Mariscos. Arroz com Mariscos – (Arroz, mariscos, camarón, calamares, pulpos, salsa criolla) R$ 69,90 para duas pessoas um prato irresistível, perfeito na apresentação, no sabor e na integração dos temperos e qualidade dos elementos que o compõe, recomendadíssimo! Partindo para sobremesa: Torta 3 Leches –  uma generosa fatia de bolo de especialidade peruana, leve, molhadinha, servida num prato decorado. R$16,90 o pedaço. Eu provei desta torta e sendo bem sincero não lembro ter comido nada nem parecido! Muuuuito bom!


Os Drinks da casa, são um acontecimento único e especial. Todos de encher os olhos, coloridos e saborosos. Vale destacar pelo menos três opções. ( Pisco Sour, Macchu Picchu e Cocktel Lhamas) – “quentes” e exóticos! Além do saudável Chicha morada. Refresco tipicamente peruano, feito com o milho de cor roxa,( trazido de lá mesmo), o maiz morado, fervido com especiarias e frutas e depois adoçado a gosto. Servido frio ou gelado. Uma delícia, bem refrescante e com efeitos benéficos para a saúde.

Serviço

End.: Rua Gaivota 1488 – Moema

Horário: Terça à sexta (12h às 15h – 19h às 23h); Sábados (12h às 23h) e Domingos (12h às 18h)

*nas sextas-feiras (jantar); e aos domingos (almoço) a casa conta com música ao vivo.

Coreano

Localizado no bairro da Aclimação, o Moah é um restaurante recente (aberto em maio de 2019) mas que já conta com uma enorme tradição. Vou explicar: a chef tocou por 11 anos o restaurante e em seguida passou o estabelecimento para outra família que o administrou por oito anos. Depois, ela resolveu voltar ao batente. Foi feita uma grande reforma, criou-se uma nova identidade, mas o sabor autêntico se mantém desde então somando duas décadas. Uniu tradição com frescor de novas ideias!

O objetivo do restaurante é difundir a cultura coreana através da culinária. Levar uma alimentação saudável e muito saborosa para as mesas dos brasileiros. Há 20 anos, os clientes eram exclusivamente coreanos, os brasileiros nem faziam ideia da culinária coreana. Mas de alguns anos pra cá isso mudou! Hoje, o público do Moah é 25% coreano, 25% brasileiro, 25% japoneses, 25% chineses. É uma mistura bem equilibrada! O ambiente é bem agradável e o atendimento excelente!

Como a Coreia está em voga, o k-pop está na mídia, faz com que os curiosos queiram conhecer a culinária também, e geralmente, acabam se apaixonando. Os carros chefes são: os churrascos coreanos, o bulgogui (fatias de Contrafilé marinada no molho agridoce), o galbi (a costela na brasa marinada no agridoce). O combo, que é possível provar 4 tipos de churrascos, sendo contrafilé e panceta suína. O bibimbap, que é o risoto coreano. Arroz, vegetais refogados, ovo frito, mistura com a pasta de pimenta da casa mais o óleo de gergelim, e bora se deliciar.
O interessante é que a carne vai à mesa crua. Isso mesmo! O cliente é que faz o churrasco na própria mesa já montada com equipamento para tal. E isso que é o mais bacana! Um convite à experiência coreana, os garçons estão à postos para dar aquela “ajudinha”. Provei da costela bovina  (foto acima) marinada em molho soja, com óleo de gergelim, mel, pera e especiarias, grelhada na churrasqueira. Simplesmente imperdível!

Serviço:

End.: Praça General Polidoro, 111, Aclimação

Horário: Só fecha nas segundas-feiras; nos demais dias funciona das 12h às 14h30 e das 18h às 21h30

Japonês

Sob a copa de uma quaresmeira, o Izakaya Taka Daru é uma típica taberna japonesa que se destaca na movimentada cena gastronômica do Baixo Pinheiros por conta de seu ambiente informal e descolado e por suas deliciosas comidinhas inspiradas em clássicos da culinária nipônica, mas com alguns toques contemporâneos. Bons exemplos disso são os Guiozas (R$ 32) – servidos ligados por uma massa fininha e crocante e com coentro por cima, para dar um toque de frescor e amansar a picância do molho de shoyu, vinagre e pimentas – ou os Korokke (R$ 28), espécie de croquete de frango japonês, que aqui é feito com massa de mandioca.

Quem assina o menu e executa as receitas é o chef Uilian Goya. Especialista em molhos e caldos como teriyaki, ponzu, kare, tonkatsu e dashi – que ele mesmo prepara na casa -, é a partir dessas bases que ele vai construindo o sabor das maravilhas que compõem seu cardápio, como os bolinhos de polvo Takoyaki (provei e são uma delícia! R$ 37) servidos com molho tonkatsu, o Tori Karaague (R$ 33), cubos de frango frito envoltos em molho ponzu e o irresistível Okra Enoki Maki (R$ 29), composto por cogumelinhos e quiabos enrolados em tiras de bacon besuntadas com molho teriyaki.

Outra especialidade de Goya é o ovo, que aparece em vários preparos diferentes. Vale muito a pena provar o Buta no Kakuni (R$ 39), uma panceta cozida por 6 horas, servida com caldo de shoyu, acelga chinesa e ovo perfeito, o Goya Tyampuru (R$ 30), omelete francesa com pepino amargo japonês, e o apetitoso Tonkatsu Kare à Cavalo (R$ 59), feito de lombo suíno empanado com molho de curry japonês, e coberto por um ovo frito de gema mole.

O cardápio tem ainda pratos à base de frutos do mar (como o Ebi To Kinoko – camarões e lulas grelhados e acompanhados de cogumelos refogados na manteiga), domburis (bowls de arroz com diversas coberturas) e, para os maníacos por macarrão japonês, ótimas versões de lámen, udon, noodles e soba.

De segunda à sexta, serve um caprichado almoço executivo que custa R$ 48 e inclui prato principal, saladinha, otoshi, gohan (arroz), misoshiro e sobremesa. Como todo bom izakaya, o boteco japonês Taka Daru tem uma carta de bebidas sucinta, mas com ótimas opções de saquês e sochus Made in Japan e drinques originais, como o Chu-Hai (R$ 30), elaborado com sochu, suco de limão e água com gás. Se a ideia for apostar em algo mais familiar para os paladares ocidentais, a dica é investir na Shissô Margarita (R$ 30), que mistura tequila, suco de limão, Cointreau, pimenta togarashi e uma folha de shissô, ou ainda o Taka Mule (R$ 30), feito com vodca, suco de limão e espuma de gengibre.

Para quem não abre mão de um gostoso doce para fechar sua experiência gastronômica, o Taka Daru tem tentadoras opções de sobremesas. Duas delas são assinadas pelo confeiteiro Felipe Tadao: o choux cream recheado com creme pâtissier (R$ 23) e o bolo de chocolate feito com cacau 75% (R$ 20). A terceira, que é a mais inusitada e também a mais pedida, foi concebida por Uilian Goya e mistura mousse de chocolate branco (R$ 20) com matchá, molho teriyaki e flor de sal!

Com ambiente aconchegante e descontraído, decorado com gravuras japonesas, luminárias de papel de arroz, utensílios de bambu e tonéis de saquê, o izakaya tem mesas espalhadas pelo salão interno e também pelo agradável terraço, perfeito para as tardes e noites de temperaturas mais amenas.

Serviço:

End.: Rua Costa Carvalho, 234, Pinheiros

Horários: Segunda à Sexta, das 11h30 às 15h30 e das 18h à 1h; aos sábados, das 12h à 1h e, aos domingos, das 12h às 23h.

Italiano

Na Itália, “osteria” é um estabelecimento mais informal do que um restaurante, onde são servidas comidas simples, com preços acessíveis. Geralmente é um local com poucas mesas, boa parte delas compartilhadas, e trabalha com cardápios curtos, que privilegiam especialidades locais, como massas, carnes ou peixes grelhados. Por fim, originalmente elas se localizavam em locais de intenso trânsito de pessoas, como as vias próximas aos mercados e às praças onde fica a igreja da matriz.

Osteria Del Rosso italiano

Foto: Divulgação

​A definição se encaixa como uma luva à Osteria Del Rosso, que em março de 2019 abriu suas portas no bairro do Tatuapé, na esquina das ruas Itapura e Azevedo Soares. O empreendimento é comandado pelo empresário Mário Rosso.

​O enxuto cardápio da casa tem poucas e boas sugestões, divididas entre pizzas, massas, grelhados e frutos do mar. As pizzas contam com massa de fermentação lenta e preparada com farinha italiana, assadas em um poderoso forno napolitano que atinge temperaturas superiores a 480ºC e tem em sua base uma pedra vulcânica que retém o calor. Na mezanino, são usados queijos artesanais fornecidos por pequenos produtores do estado de São Paulo e alguns deles envelhecidos em CAVE ( cavernas subterrâneas ) na Serra da Canastra MG.

OSTERIA DEL ROSSO ITALIANO

Foto: Fabiano Antunes / ROTA1976.COM

​As massas também são de fabricação própria, com sêmolas italianas, seguindo a tradição de Gragnano – cidade de origem dos melhores “maccheroni” da Itália. Na seção de grelhados, os destaques são a Bisteca Fiorentina e a famosa Tagliata com Grana Padano. ​Por fim, de sobremesa a Osteria tem clássicos da gastronomia italiana, como o Tiramisù, o Cannoli de Amarena, o Baba all Rum e o famoso Gnnocho Frito com doce de leite artesanal de um pequeno produtor mineiro.

​Com tudo isso, a Osteria Del Rosso já reúne motivos suficientes para agradar quem mora na região, mas o criadores não param por aí. Ainda tem mais um trunfo para atrair não só a galera da vizinhança, como também as pessoas de outros bairros da cidade e do Brasil. Seu bar inspirado na tradição etílica de Milão, a cidade que é conhecida mundialmente como a capital do Negroni, o clássico drinque preparado com partes iguais de gim, vermute e amaro.

OSTERIA DEL ROSSO ITALIANO

Foto: Fabiano Antunes / ROTA1976.COM

​Acima do mezanino da Osteria, barris de carvalho armazenam diferentes versões desse emblemático coquetel – cada qual inspirado em uma estação do ano. O Negroni de outono, por exemplo, é macerado com especiarias como gengibre, maçã verde e cumaru, já o Negroni de inverno é aromatizado com Funghi Porcini, o Negroni de primavera, por sua vez, tem um perfumado toque de flores de bergamota ou de lavanda, e o Negroni de verão é o famoso sbagliato, aquele que é incrementado com uma dose de Prosecco para deixar o drinque mais leve e refrescante.

Foto: Divulgação

​O projeto arquitetônico da Osteria é assinado pelos profissionais do Office 134, de Herbert Holdefer, responsável pelos modernos ambientes de restaurantes renomados como Casa do Porco, Esther Rooftop, La Peruana e a unidade paulistana do nova-iorquino Nobu/SP. O ambiente realmente chama atenção, é super agradável e cult.

Foto: Divulgação

A Osteria Del Rosso é um espaço onde a cozinha italiana aparece renovada, com uma pegada mais jovem e menos convencional. Os pratos e os drinques trazem toques de modernidade e a inovação, mas sem nunca esquecer ou renegar os princípios que fazem a milenar gastronomia da Itália ser tão popular e apreciada aqui em São Paulo e em todo o mundo. É um lugar para quem quiser comer bem, mas sem afetação ou preços abusivos.

Serviço:

​End.: Rua Itapura, 1128, Tatuapé

Horário: Ter e Qua, das 18h30 às 23h30; Qui à Sáb, das 12h às 16h e das 18:30 à meia-noite; e aos domingos das 12:h às 17:00.

Grego

O Mytho Restobar, restaurante grego avaliado pelo crítico Arnaldo Lorençato, como um dos 12 melhores estabelecimentos abertos em 2018, localizado na Vila Nova Conceição, tem um cardápio que é pura novidade: pratos pensados para o inverno paulistano. O lugar é realmente incrível: já chama atenção a quem passa pela calçada devido à impecável ambientação. E não fica por aí. Tem atendimento de excelência e o sabor…ah, o sabor!

Mytho restaurante

Foto: Divulgação

Algumas delícias merecem destaque como o Perseu – ravióli de queijo feta com molho de manteiga e sálvia $ 59,00; o Dédalos – parpadele de Grano duro com ragu de cordeiro $ 55,00 e o Jasão – Camarões grelhados com molho de cidra e arroz com espinafre $ 89,00.

Mytho Restaurante

Foto: Fabiano Antunes / ROTA1976.COM

Essa foto acima é de uma das opções de entrada. Provei o Hélio (camarão empanado com creme de especiarias, servidos com maionese da casa). Serve muito bem duas pessoas, vem muitos camarões e são bem graúdos. Além das opções especiais de inverno, há o cardápio a la carte com receitas tradicionais da culinária helênica em versões repaginadas, sempre com uma história por trás de sua concepção. A salada Perséfone, por exemplo, remete à deusa que vivia durante a primavera e o verão na Terra e o restante no mundo dos mortos: as azeitonas e os pepinos são uma referência à abundância da primavera, enquanto o iogurte e as anchovas são conservas que têm mais a ver com a escassez do outono e do inverno – ou do inferno!

Foto: Divulgação

Para beliscar, o cardápio oferece tentadores petiscos, como os bolinhos Pan (de carne de cordeiro com mostarda de cerveja e picles de cebola tostada), o polvo Kraken (grelhado e servido com vinagrete de favas e páprica defumada) e o Hydra, anéis de lula empanados e acompanhados de tzatziki (pepinos com iogurte, limão e dill).

Mytho restaurante

Foto: Fabiano Antunes / ROTA1976.COM

De sobremesa, pedi Afrodite, pudim (foto acima) feito com iougurte grego e crocante de pistache que é de comer re-zan-do! Mas entre as demais opções estão Réia (pêssego em caldas com sorvete de iogurte e crocante de castanhas), Orfeu (mousse de chocolate meio amargo com tuille de chocolate branco), etc. Entre os horários do almoço e do jantar, o bar da casa permanece aberto servindo vinhos, drinques etílicos e sem álcool e petiscos, como o trio de gyros Tritão (wraps de pita bread recheados de peixe, frango ou cordeiro com cebola, coentro e hortelã).

Serviço:

End.: Rua Diogo Jácome, 591, Vila Nova Conceição

Horários: Seg à Qui, das 12h à meia-noite; Sex e Sáb, das 12h à 1h e Dom, das 12h às 19h.

Viu como a gente te deixa bem informado sobre viagem e gastronomia? Então, chegou a hora de você ajudar a gente também! Faça suas reservas pelo nosso site, acessando os links no Tudo Para Sua Viagem você não paga mais nada por isso e colabora para que a gente receba uma pequena comissão, o que nos ajuda a manter o site com dicas sempre muito sinceras!

 

Compartilhe