22ª Palco Giratório: confira aqui a programação completa!

Confira aqui a programação completa da 22ª edição do Palco Giratório:

SESC 24 de MAIO

(R. 24 de Maio, 109)
Voa (Coletivo Antônia – DF) – Espetáculo Inédito

Gênero: Teatro para bebes
Classificação etária: Livre
Duração: 40 minutos

Livremente inspirado em A menina e o pássaro encantado, de Rubem Alves, Voa percorre o caminho das sutilezas e dos sentidos, tratando de cumplicidade e de saudades, mas principalmente de liberdade. As meninas e os pássaros que habitam o conto brincam, no espetáculo, com muitas possíveis relações de amizade, em ambiências que estimulam a interação do bebê com as luzes, os sons, os aromas e a
cenografia.

Dias 10/08 (sábado) e 11/08 (domingo), às 15h

Valor: R$17,00 (inteira) / R$8,50 (meia entrada)

Realização: COLETIVO ANTÔNIA. Direção: RITA DE ALMEIDA CASTRO. Elenco: CIRILA TARGHETTA E TATIANA BITTAR. Dramaturgia: RITA DE ALMEIDA CASTRO E
COLETIVO ANTÔNIA. Cenário e figurino: ROUSTANG CARRILHO. Música, sonoplastia e Coordenação técnica e operação de luz: EULER OLIVEIRA. Desenho de luz: MARCELO AUGUSTO. Design Gráfico: ILHA DESIGN. Fotografia: MAÍRA ZANNON E GUILHERME NABUCO. Vídeo: BALEIA FILMES. Produção executiva: KAMALA RAMERS. Direção de produção: INOVA RODA PRODUÇÕES

Coletivo Antônia – DF
Criado em 2009, a partir de estudos e investigações teatrais para a primeira infância, o Coletivo Antônia dedica-se à criação de espetáculos que propiciem dinâmicas horizontais entre crianças e adultos, baseando-se na capacidade de maravilhar-se dos bebês, com foco em suas habilidades e sensibilidades emocionais, poéticas e estéticas.

Naquele Bairro Encantado – Episódio I: Estranhos Visitantes (Teatro Público – MG) – Espetáculo Inédito

Gênero: Intervenção Cênica
Classificação etária: Livre
Duração: 120 minutos

Um grupo de velhos mascarados visita um bairro da cidade, povoando o cotidiano com imagens saudosistas do passado. Nesta intervenção cênica, o público é convidado a fazer um passeio por um bairro da cidade, onde os personagens realizam ações cotidianas e estabelecem relações com os moradores e transeuntes, despertando memórias e compartilhando lembranças e histórias.

Dias 10/08 (sábado) e 11/8 (domingo), às 12h

Valor: Grátis

Direção: ROGÉRIO LOPES. Dramaturgia: LARISSA ALBERTTI. Atuação: ANA LAVIGNE, DIEGO POÇA, LARISSA ALBERTTI, LUCIANA ARAÚJO, MARCELO ALESSIO E
RAFAEL BOTTARO. Direção musical e preparação vocal: EBERTH GUIMARÃES. Figurinos: JULIANA FLORIANO. Criação e confecção de máscaras: FERNANDO
LINARES. Produção: FELIPE MONTESANO. Fotografia: NAUM AUDIOVISUAL

Teatro Público – MG
O Teatro Público nasceu em 2011, com a realização de um projeto de habitação
teatral desenvolvido no bairro Lagoinha, em Belo Horizonte, e que deu origem ao espetáculo Naquele bairro encantado.

Performance Preta no Brasil: Mapeamento, Escuta e Mediação Crítica (SaraElton Panamby e Dinho Araujo – MA)

Gênero: Pesquisa e ação formativa
Classificação etária: 14 anos

Concebido como programa de mediação experimental, Performance preta no Brasil pretende visibilizar a produção negra no campo da performance a partir de laboratórios de criação, escutas, pesquisa de campo e intercâmbio com pesquisadores e realizadores negros.

Oficina – Assombramentos e Espaço Vazio – Laboratório de Performance (SaraElton Panamby e Dinho Araujo – MA)

Voltada para a exploração da linguagem da performance como lugar possível de evocação de falas silenciadas. Visa ao resgate do pensar com o corpo todo, inerente às culturas negras, de povos originários, silenciadas pelo processo de colonização.

De 27/08 a 30/08 (Terça a sexta) às 10h – Vagas limitadas.
Valor: Grátis – Inscrições antecipadas na Central de Atendimento
Público-Alvo: Adultos e jovens, com ou sem experiência em performance, assegurando-se a participação de pessoas negras e indígenas
Carga horária: 12 horas/ 4 dias
Ministrante: SaraElton Panamby
Número máximo de participantes: 12 a 15

Oficina – Escurescências – Laboratório de Lambe (SaraElton Panamby e Dinho Araujo – MA)

Pensar movimentos de apropriação e reapropriação de dispositivos técnicos no campo da fotografia e do audiovisual, de modo a colocar o sujeito negro como autor e produtor de suas próprias imagens. Recorrendo ao pensamento colaborativo, a oficina busca fraturar lógicas eurocêntricas e coloniais na representação do corpo negro.
Público-Alvo: Oficina voltada para a comunidade e artistas, enfatizando a participação de pessoas negras e indígenas
Carga horária: 12 horas/ 3 dias
Ministrante: Dinho Araujo
Número máximo de participantes: 12 a 15
De 27/08 a 30/8 (terça a sexta), das 15h às 18h.
Classificação etária: 18 anos.
Valor: Grátis – Inscrições antecipadas na Central de Atendimento (Vagas limitadas)

Roda de Conversa – Trajetórias Pretas (SaraElton Panamby e Dinho Araujo – MA)

Ministrantes: Dinho Araujo e SaraElton Panamby
Dia 31/08 (sábado), às 15h.
Classificação etária: 18 anos.
Inscrições antecipadas na Central de Atendimento (Vagas limitadas)

SaraElton Panamby e Dinho Araujo – MA
SaraElton Panamby é performer e pesquisadora, bacharel em Performance (PUC-SP) e doutora em Artes pela UERJ. Em sua produção, trabalha com limites psicofísicos por meio de práticas de modificação corporal e rituais revisitados, além da criação de personas por processos de colagem. Dinho Araujo é artista visual, antropólogo e
produtor independente. Realiza experimentos com vídeo e fotografia expandida, transitando entre intervenção urbana, projeção audiovisual e fotografia lambe-lambe.

SESC AVENIDA PAULISTA

(Av. Paulista, 119)
Cavalo Marinho Estrela de Ouro (Condado – PE)

Gênero: Rua/Dança/Teatro/Música
Classificação etária: livre
Duração: de 2h a 5h

Contendo música, dança e teatro, o Cavalo-Marinho é uma brincadeira típica de algumas cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco. Durante a brincadeira surgem várias figuras que nos trazem a reflexão sobre as relações de poder, opressor e oprimido, patrão e empregado. Ao fim, surge o boi assinalando o término do brinquedo, e o capitão, com seu apito, canta toadas de despedida.

Dia 11/08 (domingo), às 14h (área externa)

Valor: Grátis

Direção, cenário, figurino, iluminação, trilha sonora, maquiagem: CAVALO MARINHO ESTRELA DE OURO. Banco: CLÁUDIO RABECA, JOSÉ SEVERINO, JOSÉ MARQUES,
PINO JOSÉ. Figuras e galantaria: MESTRE BIU ALEXANDRE, AGNALDO ROBERTO, FÁBIO SOARES, SEBASTIÃO MARTELO, JOSÉ MÁRIO, AMAURI HONÓRIO, PAULO DE
FRANÇA DA SILVA, ELIANE VALÉRIA E ÍRIS CAMPOS. Fotografia: LUCA BARRETO

Condado – PE
Fundado por Mestre Biu Alexandre, no dia 31 de julho de 1979, o Cavalo Marinho Estrela de Ouro tem, desde sua fundação, toda a sua família envolvida na brincadeira.

R.A.L.E. (Realidade Apropriada Libera Evidência) – Jessé Batista – AL – Espetáculo Inédito

Gênero: Dança
Classificação etária: 12 anos
Duração: 35 minutos

Este espetáculo trata de um corpo aprisionado por um sentido político que desfavorece um terço da imensa população brasileira. Não é a questão de permanecer e pertencer àquele lugar, e sim de ser tratado como apenas um mero corpo.

Dias 15/08 (quinta-feira) e 16/08 (sexta-feira), às 20h30.

Valor: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada)

Direção, pesquisa, dança e figurino: JESSÉ BATISTA. Assistência de direção e iluminação: SARA LESSA. Artistas colaboradores: VALÉRIA NUNES E
MARCOS MATTOS. Fotografia: EDVAN FERREIRA, NIVALDO VASCONCELOS E FELIPE SALES. Designer gráfico: LUCIANO PEIXOTO E NIVALDO VASCONCELOS

Jessé Batista – AL
B.boy, intérprete-criador, artista da dança independente, formado como técnico de dança e graduado em Licenciatura em Dança pela Escola Técnica de Artes, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Natural de Maceió/União dos Palmares (AL), seu primeiro contato com a arte/dança foi no movimento hip hop e nas danças de rua, especificamente a dança breaking, em 2003.

SESC BELENZINHO

(Rua Padre Adelino, 1000 – Quarta Parada)

A Mulher Arrastada (Dramaturgia Diones Camargo – RS) – Espetáculo Inédito

Gênero: Teatro adulto
Classificação etária: 14 anos
Duração: 50 minutos

Rio de Janeiro, 2014. Cláudia Silva Ferreira – mulher negra, pobre, 38 anos, mãe de quatro filhos biológicos e quatro adotivos – é brutalmente alvejada pela Polícia Militar ao sair de casa no Morro da Congonha, para comprar pão para sua família. Entrelaçando fato verídico e narrativa ficcional, esta peça-manifesto mostra a figura trágica de Cláudia reivindicando o que havia sido apagado durante a cobertura jornalística do caso: o seu próprio nome, substituído pela impessoal, violenta e cruel alcunha de “Mulher Arrastada”.

Dias 3/08 (sábado), às 20h e 4/08 (domingo), às 17h.

Valor: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada)

**Roda de Conversa: Dia 3/08 (sábado) às, 21h30

Texto: DIONES CAMARGO. Direção: ADRIANE MOTTOLA. Elenco: CELINA ALCÂNTARA E PEDRO NAMBUCO. Trilha Sonora Original: FELIPE ZANCANARO. Iluminação: RICARDO VIVIAN. Cenografia: ISABEL RAMIL (AMBIENTAÇÃO CÊNICA) E ZOÉ DEGANI (OBJETOS CENOGRÁFICOS). Figurinos: CRIAÇÃO COLETIVA. Fotos de divulgação: REGINA PEDUZZI PROTSKOF. Arte Gráfica: JÉSSICA BARBOSA. Produção estreia / temporadas: DIONES CAMARGO E REGINA PEDUZZI PROTSKOF. Produção de circulação: LUÍSA BARROS. Realização: DIONES CAMARGO E LA PHOTO GALERIA E ESPAÇO CULTURAL. Apoio: CIA. STRAVAGANZA E UTA – USINA DO TRABALHO DO ATOR

Dramaturgia Diones Camargo – RS
Em parceria com a encenadora Adriane Mottola (fundadora da Cia. Stravaganza) e a atriz Celina Alcântara (cofundadora do UTA, Usina do Trabalho do Ator), o dramaturgo Diones Camargo idealizou o espetáculo A mulher arrastada, montagem independente que conta com a participação de renomados artistas de diversas áreas.

Aquelas – Uma Dieta para caber no Mundo (Manada Teatro – CE)
Gênero: Adulto
Classificação etária: 14 anos
Duração: 50 minutos

Remonta à história de Maria de Bil, santa popular da cidade de Várzea Alegre (CE). Assassinada em 1926 pelo seu “companheiro”, transformada em mártir, até hoje é ícone de devoção do povo da região. No espetáculo, que mistura a história da santa com pessoalidades das intérpretes, o público é convidado a participar do preparo de um indigesto jantar envolvendo facas, carne, sangue e outros elementos, oferecidos à mesa com os corpos das próprias atrizes/performers.

Dias 7/08 (quarta-feira) e 8/08 (quinta-feira), ás 21h.

Valor: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada)

Intérpretes: JULIANA VERAS E MONIQUE CARDOSO. Direção: MURILLO RAMOS. Textos: JULIANA VERAS, MONIQUE CARDOSO, MURILLO RAMOS, RAFAEL BARBOSA E
RICARDO GUILHERME. Colaborador-provocador: RICARDO GUILHERME. Direção musical: JULIANA VERAS. Músicas: JULIANA VERAS, JONATHAN SILVA, MONIQUE
CARDOSO, MURILLO RAMOS E RAFAEL BARBOSA. Direção de produção: MONIQUE CARDOSO. Cenário: KLEBSON ALBERTO E LARA LEON (FOCARTE – DESIGN DE
IDEIAS). Iluminação: WALLACE RIOS. Operação de luz: LUÍS ALBUQUERQUE E WALLACE RIOS. Edição de vídeo: IGOR CÂNDIDO. Produção: ATO MARKETING
CULTURAL. Realização: MANADA TEATRO

Manada Teatro – CE
Artistas de Fortaleza e do Cariri com trajetórias de mais de vinte anos de teatro
e motivados pelo desejo de se reencontrar, de se juntar enquanto criadores, reuniram-se para formar o Manada Teatro, em 2016. O grupo vive seus processos criativos entre as duas regiões do Ceará.
A Mulher do Fim do Mundo (Cia Casa Circo – AP) – Espetáculo Inédito

Gênero: Dança
Classificação: 14 anos
Duração: 35 minutos
Este espetáculo solo é um tiro no escuro: dentro de um delírio, uma mulher se depara com a existência de um corpo que respira a cada segundo para se manter de pé. Neste estado delirante, a personagem estabelece um diálogo visceral e direto do corpo e com o corpo.

Dias 22/08 (quinta-feira) e 23/08 (sexta-feira), às 21h30

Valor: R$ 25,00 (Inteira) / R$ 12,50 (Meia Entrada)
Texto: JONES BARSOU. Direção: JONES BARSOU. Elenco: ANA CAROLINE. Cenário: CIA CASA CIRCO. Design de figurino/costureira: CIA. CASA CIRCO / HILDENÊ MARTINS. Iluminação: ELOY PESSOA. Trilha sonora: JONES BARSOU E PAULO BASTOS. Maquiagem CIA.CASA CIRCO. Fotografia ALEXANDER GALVÃO

Cia. Casa Circo
Integram o núcleo de produção e criação da Cia. Casa Circo, atuante desde 2015,
dois artistas (Ana Caroline e Jones Barsou) que, juntos, somam vida e arte, agregando
em suas produções diferentes linguagens: circo, dança e teatro.

SESC BOM RETIRO

(Alameda Nothmann, 185)

Meu Seridó (Casa de Zoé – RN) – Espetáculo Inédito

Gênero – Drama
Classificação etária – 12 anos
Duração – 70 minutos

O espetáculo teatral proporciona um passeio imaginário pelo sertão do Rio Grande do Norte. Trata da relação do Homem com a Terra – que neste começo de milênio chega a um grave impasse. Tudo, com muito humor, música e boas doses de reflexão

Dias 2/08 (sexta), às 21h; 3/08(sábado), às 21h; e 4/08 (domingo), às 18h

Valor: R$ 25,00 (Inteira) / R$ 12,50 (Meia Entrada)

Direção: CÉSAR FERRARIO. Dramaturgia: FILIPE MIGUEZ. Elenco: TITINA MEDEIROS, NARA KELLY, CAIO PADILHA, MARCÍLIO AMORIM E IGOR FORTUNATO. Direção de arte: JOÃO MARCELINO. Direção musical: CAIO PADILHA. Pesquisadora: LEUSA ARAÚJO. Design de luz: RONALDO COSTA. Cenotécnico: ROGÉRIO FERRAZ. Produção executiva: ARLINDO BEZERRA. Operação de luz: JANIELSON SILVA E RONALDO COSTA. Operação de som: CÉSAR FERRARIO. Técnico de montagem: SANDRO PAIXÃO

Casa de Zoé – RN
A Casa de Zoé é uma produtora idealizada pela atriz Titina Medeiros, com o intuito de promover encontros artísticos e suas derivações criativas.

Femi-Clown Cabaré-Show (Cabaré das Rachas – DF)

Gênero: Circo
Classificação etária: 12 anos

Esta proposta é uma ação multiplicadora de saberes em circo-teatro, que se dá a partir do encontro e das partilhas entre mulheres palhaças e suas criações. É o levante da força, da fúria e da graça das palhaças, num picadeiro feminista e sob a lona dos afetos. Artistas de circo, da poesia, das culturas populares e de rua das cidades são convidados a um encontro com o trio de palhaças do Cabaré* das Rachas para esta
empreitada político-afetiva do humor e da palhaçaria de mulher.

Dia 18/8 (domingo), às 18h.

Valor: Grátis

Direção artístico-pedagógica: ANA FLAVIA GARCIA. Assistência de direção: ELISA CARNEIRO. Registro: ANA LUIZA BELLACOSTA. Provocadoras em palhaçaria:
ANA FLAVIA GARCIA, ANA LUIZA BELLACOSTA E ELISA CARNEIRO. Coordenação de produção: JULIANA CURY

Cabaré das Rachas – DF
O trio de palhaças que passou a se identificar como Cabaré das Rachas atua coletivamente, desde 2008, no projeto de Circo Social Doutoras Música e Riso, no projeto Risadinha “Uma ação pelo Riso e pela Saúde”

Oficina
De 14/08 a 17/08, às 17h.

Inscrições para mulheres palhaças, mediante preenchimento de formulário no link https://bit.ly/2JB6d3j – Período de inscrições: de 22 de julho a 5 de agosto.

Divulgação das aprovadas: 7 de agosto.

Inscrição na Central de Atendimento para aprovadas: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada) – de 8 a 13 de agosto

SESC PARQUE DOM PEDRO II

(Praça São Vito s/n – Brás)

Tandan (Cia Etc – PE) – Espetáculo Inédito

Gênero: Dança para Crianças
Classificação etária: livre
Duração: 2h (15 a 20 sessões 6 minutos)

Uma experiência de imersão em dança a partir do uso de estímulos táteis, de uma instalação sonora e da interação com bailarinos e bailarinas. Um espetáculo que encara a questão da acessibilidade às pessoas com deficiência visual como estímulo criativo, e não como tradução.

Dias 3/08 (sábado) e 4/08 (domingo), às 14h.

Valor: Grátis (Distribuição de senha 1 hora antes).

Direção: MARCELO SENA. Assistência de direção: JORGE DE PAULA. Criação: ELIS COSTA, MARCELO SENA E RENATA VIEIRA. Dança ELIS COSTA, FILIPE MARCENA, IARA CAMPOS E MARCELO SENA. Pesquisa: BRUNO AMORIM, ELIS COSTA, FILIPE MARCENA, JORGE DE PAULA, MARCELO SENA E RENATA VIEIRA. Figurinos e cenário: MARCONDES LIMA. Costura de figurinos: MARIA LIMA. Trilha sonora original: MARCELO SENA. Consultoria em acessibilidade comunicacional: ANDREZA NÓBREGA. Preparação de elenco: ARILSON LOPES. Fotografia: ARTHUR REIS. Design: BRUNO AMORIM. Realização e produção CIA. ETC

Cia. Etc
A Cia mantém um trabalho na vertente das artes contemporâneas, a partir de diversas configurações da dança (espetáculos, intervenções urbanas, videodanças e audiodanças).

Cavalo Marinho Estrela de Ouro (Condado — PE)

Gênero: Rua/Dança/Teatro/Música
Classificação etária: livre
Duração: de 2h a 5h

Contendo música, dança e teatro, o Cavalo-Marinho é uma brincadeira típica de algumas cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco. Durante a brincadeira surgem várias figuras que nos trazem a reflexão sobre as relações de poder, opressor e oprimido, patrão e empregado. Ao fim, surge o boi assinalando o término do brinquedo, e o capitão, com seu apito, canta toadas de despedida.

Dia 11/08 (domingo), às 14h

Valor: Grátis

Direção, cenário, figurino, iluminação, trilha sonora, maquiagem: CAVALO MARINHO ESTRELA DE OURO. Banco: CLÁUDIO RABECA, JOSÉ SEVERINO, JOSÉ MARQUES,
PINO JOSÉ. Figuras e galantaria: MESTRE BIU ALEXANDRE, AGNALDO ROBERTO, FÁBIO SOARES, SEBASTIÃO MARTELO, JOSÉ MÁRIO, AMAURI HONÓRIO, PAULO DE
FRANÇA DA SILVA, ELIANE VALÉRIA E ÍRIS CAMPOS. Fotografia: LUCA BARRETO

Condado – PE
Fundado por Mestre Biu Alexandre, no dia 31 de julho de 1979, o Cavalo Marinho Estrela de Ouro tem, desde sua fundação, toda a sua família envolvida na brincadeira.

SESC SANTANA

(Av. Luiz Dumont Villares, 579 – Jardim São Paulo)

AudioDescriçãoLAB (Andreza Nóbrega e VouVer Acessibilidade – PE e SC)

Gênero: Cena Expandida
Classificação etária: 18 anos

Proposta Expandida que engloba uma oficina de teatro para experimentação cênica; ação de mediação para espetáculo com audiodescrição e um pensamento giratório. Ramificação tramada em diálogo com a pesquisa de doutoramento de Andreza Nóbrega, que investiga os processos estéticos e de mediação envolvendo a audiodescrição no teatro.
Dias 21/08 (quarta-feira), 22/08 (quinta-feira) e 23/8 (sexta-feira), às 18h30.

20 vagas (Inscrições na Central de Atendimento)

Valor: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada)

Pesquisadora, professora, atriz e audiodescritora: ANDREZA NÓBREGA. Produção: VOUVER ACESSIBILIDADE. Audiodescritora: DANIELLE FRANÇA. Consultor: MILTON CARVALHO

Andreza Nóbrega e Vouver Acessibilidade – PE e SC
Andreza Nóbrega é atriz, audiodescritora e professora de teatro, doutoranda em Teatro (UDESC), mestre em educação inclusiva (UFPE), especialista em audiodescrição pela UFJF e arte-educadora graduada em Artes Cênicas (UFPE). Atua no ramo da acessibilidade desde 2010, é sócia-fundadora e coordenadora de projetos da VouVer Acessibilidade, que desenvolve serviços nesse segmento.

Teatro dos Seres Imaginários (Cia Seres Imaginários – RS)

Gênero: Teatro de bonecos
Classificação etária: livre
Duração: sessões de 10 minutos

Dias 22/08 (quinta-feira) e 23/8 (sexta-feira), às 19h.

Valor: Grátis Quinta e sexta, 19h. Grátis. (Distribuição de senhas no local, sujeita à disponibilidade de lugares)

Ao entrar no cenário, o público se depara com o inesperado. O palco não está onde deveria estar: as pessoas são chamadas a ocuparem o espaço cênico e iniciar uma viagem sensitiva ao encontro dos seres e da imaginação. Sob os voos rasantes de fantásticas criaturas aladas, crianças e adultos se encontram em estado de contemplação das diferenças, intimamente conectados ao mundo dos seres imaginários.

Manipulação: CACÁ SENA, CHARLES KRAY, ELAINE REGINA E SILVIA REGINA FERRARE. Desenho e construção dos seres: OBA – OFICINA DE BONECOS ANIMADOS –,
HELOISA DILE, RENATO SPINELLI E DUDA SPINELLI. Iluminação: CAROL ZIMMER. Operação de luz: JOÃO FRAGA. Técnico: ALEXANDRE RICARDO SILVEIRA. Música: SÉRGIO OLIVE. Desenho gráfico no cenário: PEDRO ALICE. Cenotécnica: FAKE CENOGRAFIA. Fotografia: RIQUE BARBO. Produção executiva: FABIANE
BAUMANN. Roteiro e direção de cena: JACKSON ZAMBELLI. Criação e direção geral: CACÁ SENA

Das Cinzas Coração (Quimera Criações Artísticas e Teatro Ateliê – RS)

Gênero: Circo
Classificação etária: 12 anos
Duração: 40 minutos

Qual o sentido de um espetáculo de circo-teatro do século XXI usar a linguagem do cinema de cem anos atrás, para contar uma história de opressão feminina passada em 1920? É que estas cenas seguem hoje na vida real, em todo canto, todas as classes sociais e orientações religiosas ou políticas. Das cinzas coração brinca que é cinema mudo em preto e branco, com trilha ao vivo feita por um pianista de época.

Dias 24/08 (sábado), às 21h e 25/8 (domingo), às 18h
** 30 minutos antes do espetáculo haverá mediação para o público cego, além de audiodescrição nos dois dias de apresentação

Valor: R$25,00 (inteira) / R$12,50 (meia entrada)

30 minutos antes do espetáculo haverá mediação para o público cego, além de audiodescrição nos dois dias de apresentação.

Direção: JÉFERSON RACHEWSKY. Elenco e dramaturgia: JÉFERSON RACHEWSKY E VALQUÍRIA CARDOSO. Trilha sonora: ARTHUR DE FARIA. Concepção visual e figurinos: VALQUÍRIA CARDOSO. Cenografia: ALEX LIMBERGER E VALQUÍRIA CARDOSO. Adereços: DIEGO STEFFANI E VALQUÍRIA CARDOSO. Criação de luz: OSVALDO PERRENOU. Operação de luz: DANIEL FETTER. Fotografia: ADRIANA MARCHIOR. Arte gráfica: JÉFERSON RACHEWSKY

Quimera Criações Artísticas e Teatro Ateliê – RS
Uma companhia de circo-teatro que busca inovar em espetáculos que usem técnicas de palhaço para abordar questões de nosso tempo.

Compartilhe