Roteiro de 4 dias em Ilhabela: conheça as principais praias da região!

Sempre tive muita vontade de conhecer Ilhabela, no litoral norte de São Paulo, mas confesso que há anos venho adiando este destino porque falam tanto dos mosquitos que não queria pagar pra ver. Até que não resisti e finalmente fui! Falo deles mais abaixo ok? Vamos começar o post destacando as belezas deste lugar incrível! Acompanhe a gente também no Instagram, onde você pode receber várias dicas de viagem e conhecer paisagens incríveis! É só clicar AQUI!

Dia 01 – Armação, Pinto e Sino

Meu primeiro dia em Ilhabela foi reservado para conhecer as praias famosinhas da Armação, Pinto e do Sino. Três praias num só dia? Sim, dá pra fazer numa boa. E olha que não estava de carro, fiz tudo de busão. Chegando no local de sua hospedagem já desenrole um mapinha da ilha ou tire foto pra se localizar melhor.

Armação

Esta praia tem 650 metros de extensão, sendo uma das melhores para prática de esportes de vela, pois é onde o efeito de canalização dos ventos no canal de São Sebastião atinge o ápice. A praia dispõe de restaurantes na beira mar com banheiros e chuveiros. Tem uma charmosa igrejinha, a Capela Imaculada Conceição, ótima pra fotos, principalmente para quem for de casal. Lá junto da capela tem um pneu pendurado em cordas numa árvore, que serve de balanço. Rende boas fotos com a praia ao fundo.

Pinto

Quem não tiver preguiça de andar, é só pegar uma trilha que dá acesso à praia do Pinto. Lá tem um píer de onde dá pra pular tranquilo numa água bem paradinha, parece uma piscina. O dia não era de muito sol e consegui ver até arraia branca. Em tempo firme, deve ser ainda mais imperdível este lugar. É uma praia pequena e ótima pra família com criança.

Sino

A praia do Sino fica logo na sequência. Fiz as três de pernada. Esta é uma das mais conhecidas da região porque reza a lenda que quando pedras são batidas nas rochas emitem som semelhante aos sinos. Uma passarela, que fica junto a um bar, leva o turista a vários pontos onde é possível fazer esse teste. No local tem restaurantes e também opção de guarda sol e cadeira na praia. Não cobram por uso mas pedem que o cliente consuma algo.

Dia 02 – Jabaquara e Centro Histórico

E vamos a mais uma praia imperdível em Ilhabela: a Praia do Jabaquara, que está entre as mais bonitas e paradisíacas deste destino. É uma das mais preservadas! Antes mesmo de você descer até à praia, já é presenteado com um “mirante improvisado”. Lá de cima, é possível se encantar com o visual: larga faixa de areia e muitas árvores ao seu redor.

Ela pertence a um parque estadual e pra chegar lá (se for de ônibus), precisa seguir pela estrada sentido Norte da ilha, até o final. Pouco depois da Praia da Armação, você precisa descer do busão porque acaba o calçamento e aí começa a caminhada por estrada de terra. Carros baixos sofrem pra passar viu! E se estiver a pé, vale pedir carona. Também é possível chegar de barco se não quiser caminhar.

 

Para os mais dispostos, a caminhada por estrada de chão é de 7km pra ir e outros 7km pra voltar. Levei cerca de 1h30 por trecho. A praia conta com um restaurante super bem estruturado e algumas barraquinhas de bebida e comida, instaladas na areia da praia. Na volta, ficamos pelo meio do caminho pra conhecer mais da orla do Centro Histórico, cheio de bares e super turístico.

Para hospedagem, a gente tem uma dica muito bacana: é a Velinn Pousada Bromélias, próximo da praia Perequê, na área central da ilha. É só clicar AQUI!

Dia 03 – Jipe Tour

Sabia que em Ilhabela tem passeio de jipe? Pois é, dá pra juntar aventura de um 4×4 com praia, montanha e muito mais! Fiz esse tour com a Salete Tour e super recomendo! O jipe pega o visitante onde estiver hospedado por volta das 10h45 / 11h da manhã e segue mata adentro por uma reserva ambiental. A trilha é por estrada de terra cheia de curva e sinuosa. Para organizar o fluxo e ser mais seguro pra todos, existe uma regra que até às 14h os carros só entram e depois das 15h todos os veículos começam a sair. O horário limite pra saída é 16h.

No caminho vemos cachoeiras, mata e muita paisagem linda. Paramos na cachoeira da Usina para fotos e num mirante. Depois seguimos ao ponto de parada final que é a praia Castelhano, uma das mais procuradas e a que mais fui atacado pelos mosquitos. Vai viajar e precisa reservar hotel? Clique AQUI!

Essa praia ficou famosa por ter formato de um coração. Você consegue perceber ao subir num mirante, com acesso bem fácil (trilha bem curtinha), no lado direito de quem chega à praia. Lá de cima dá pra ver bem o formato do coração. A praia Castelhano é muito perigosa, o mar é super agitado por ser mar aberto, oceânico. E não há salva vidas por lá hein! Se for se molhar, evite ir pro fundo e tome banho na área dos bares onde há mais movimento. Esta é a maior praia da ilha com 1,8km de extensão. Somente no verão tem salva vidas e até médicos de plantão para ocorrências inclusive causadas pelas picadas dos mosquitos.

Mosquitos

No início deste post, falei que ia comentar sobre os mosquitos. Vamos lá! Logo ao chegar em Ilhabela, não percebi que eram tantos nem tão violentos. Usei repelente por precaução, mas não os sentia tanto. Depois de um ou dois dias comecei a ver o quanto fui atacado (principalmente nas proximidades dos pés até o joelho). Passei a usar mais repelente ainda. Ajuda? Sim! Mas não evita os ataques ok? Esta praia Castelhano foi a que mais senti as picadas, e pude então observar até algumas com direto a sangue escorrendo nas pernas. Use muuuito o repelente que eles fabricam na própria ilha, é o mais recomendado e o que melhor protege.

É o repelente que melhor funciona, mas não evita você levar muitas picadas ok? Custa R$ 20 (ref.set.2021)

Voltando ao tour, o jipe faz o passeio com até 11 pessoas, sendo obrigatório uso de máscara no trajeto. Na ida ou na volta outro ponto de parada é a cachoeira do Jabuti, onde ficamos por meia horinha. Dá pra entrar no Parque com carro próprio mas só entra se for 4×4 e precisa fazer agendamento prévio. O estacionamento custa R$ 20 (ref. set. 2021). O trajeto de jipe dura em média 1h30 cada trecho.

Dia 04 – Cachoeira Paquetá e Praia do Curral

Paquetá

Pra mim a paisagem mais imperdível de Ilhabela. Ficou famosa por causa da borda infinita natural. O visual é realmente surpreendente! Os moradores locais começaram a postar fotos com a hashtag #secretpoint e daí este lugar foi ganhando fama. Para chegar lá você precisa descer no bairro do Bexiga (o motorista do busão indica onde descer), se tiver com GPS coloque “Rua Nagib Pombo, 1 – Ribeirão”. E aí começa uma trilha de fácil acesso e sem muito perrengue. Meia horinha e você chega ao paraíso.

São três poços pra banho. O primeiro fica a uns 15 ou 20 minutos de caminhada. De lá, tomando cuidado (pra não escorregar) cruze o poço pelas pedras para o lado direito e siga a trilha para cima. No caminho estão mangueiras de captação de água que passam pela trilha, elas abastecem as casas da região. Servem de guia de caminho mas tenha cuidado pra não danificá-las e deixar a população sem água.

Chegando até o topo onde está a piscina de borda infinita natural, não fique andando e tirando fotos na borda do poço, pois um mínimo descuido poderá ser fatal. Todo cuidado é pouco! Pra fazer fotos, fui deitado e me arrastando pela pedra, sempre me posicionando da borda pra dentro do poço. Procure se molhar sem mergulhar na área mais funda do poço por causa da correnteza. Antes deste ponto, existe um outro poço (mais seguro pra banho). No mais, com os devidos cuidados aproveite muito este visual incrível!

Curral

Quando você descer da trilha da Cachoeira Paquetá aproveite o resto do dia pegando uma prainha e vendo um pôr do sol lindo! Voltando pra pista, mais dez minutinhos de caminhada e você chega à praia do Curral. O local tem ótima infra de bares e restaurantes à beira-mar. Paga somente o que consumir e tem banheiro e ducha pra voltar pra casa sem a água salgada do mar no corpo.

Ônibus mais barato

Pra quem vai usar o busão nesta viagem, aí vai uma dica importante: você pode adquirir gratuitamente já na chegada da balsa em Ilhabela um cartão de transporte, em que a passagem sai mais barata. Basta carregar o cartão (apenas em dinheiro e nos equipamentos que estão em vários pontos da cidade) com valor que você quiser. No cartão, a passagem custa 2,10 e pagando em dinheiro no ônibus o valor sobe para 5,40 (ref. set. 2021). Se vai conhecer todo este roteiro e usar tantas vezes o transporte público vale a pena.

 

 

 

Compartilhe