Mais seguro: restaurantes do centro de Belo Horizonte investem em Delivery

Estivemos recentemente em Belo Horizonte, capital mineira, e claro que no nosso tour não poderíamos de deixar de conhecer alguns restaurantes. E aqui vamos indicar dois deles, localizados bem na área central da cidade. Um deles é o tradicional Cantina do Lucas, que  serve almoço e jantar à la carte, além de um badaladíssimo e cultural happy hour. Comida saborosa e atendimento de primeira fazem parte do cardápio da casa. Não à toa tornou-se referência na gastronomia da cidade. E mais: é Patrimônio Cultural de BH, tombado em 09 de dezembro de 1997.  Acompanhe a gente também no Instagram, onde você pode receber várias dicas de viagem e conhecer paisagens incríveis! É só clicar AQUI!

CANTINA DO LUCAS

Foto: Divulgação

Cardápio

O saboroso e variado cardápio encanta e faz a qualidade do restaurante. Por aqui, preparam-se refeições bem variadas, preservando a essência da tradição. Entre as opções de pratos individuais estão: filezinho (filé grelhado, arroz, ovo frito, batata frita e cenoura), filé à brasileira (filé grelhado, farofa, arroz, batata frita, banana à milanesa), além de peixe, lombo, costelinha com tropeiro (costelinha, tropeiro, couve, arroz, torresmo e linguiça). Provei este último que tem mais a cara de Minas e achei uma delícia. Prato super bem servido. Caso não esteja com muita fome dá até pra dividir pra duas pessoas.

Guiness

A Cantina do Lucas é reduto de intelectuais, artistas e formadores de opinião. Local onde trabalhou o garçom mais tradicional de Belo Horizonte, o Sr. Olympio Peres Munhoz, que ficou em atividade por mais tempo em todo o País. Ele faleceu em 2003, aos 84 anos, mas está imortalizado no Guiness Book. Nas paredes do restaurante você pode conferir reportagem de jornais e fotos do Sr. Olympio.

cantina do lucas

Foto: Divulgação

Fervo cultural

A Cantina do Lucas é um local que teve a inédita característica de aglutinar, durante anos, todas as vertentes da produ­ção artística e cultural de Belo Horizonte, influenci­ando dezenas de pessoas, em termos de vivências humanísticas e, sobretudo, políticas. Um de seus freqüentadores era Milton Nascimento, assim como o pessoal do Clube da Es­quina. Isto sem citar os apaixonados pelo cinema, jornalistas, escritores, entre outros.

Também era frequentado por militantes do movimento estudantil, artistas plásticos, membros do partido comunista e o pessoal das Artes em geral. Muita informação política preciosa foi compartilhada, era um lugar onde se tomaram muitas decisões que repercutiram na vida das pessoas e mesmo na política Nacional.

Tradição

A efervescência cultural da época, fez da Cantina o anfiteatro das grandes discussões em torno da música, do cinema novo, da arquitetura, do existencialismo, da literatura, da Pop Art, passando pelo futebol ou simplesmente expondo as angústias, alegrias e tristezas do cotidiano de cada um. A Cantina do Lucas continua sendo um ponto de encontro de admiradores da cultura e boemia de Belo Horizonte.

O restaurante surgiu em 1962. Seu primeiro nome foi Chopplândia. Um ano depois, passou a se denominar Trattoria di Saatore. Em 1966, adota oficialmente Cantina do Lucas, nome dado pelo saudoso proprietário Edmar Roque, cidadão honorário de Belo Horizonte.

E manter a tradição aqui é de Lei. Até hoje, a parte interna do Lucas conserva uma de suas principais características, a parede é revestida por típicos azulejos decorados nas cores azul e branco. Outra marca são as grades em ferro trabalhado, originais em verde escuro, as inconfundíveis garrafas dispostas em prateleiras no teto e as paredes revestidas em madeira escura da loja (também original, porém restaurada) dão ao lugar um estilo próprio e marcante. No cardápio, entre os pratos que servem duas pessoas, o campeão de vendas é o file à parmegiana (filé à milanesa, molho ao sugo preparado na própria casa, mozarela, purê de batata); além de strogonoff de filé, picanha, lasanha, canelone, capelete, avez e peixes. A variedade é bem grande!

Serviço

De domingo à segunda-feira, das 11h30 à 1h e terça a sábado, das 11h30 às 2h.

Casa dos Contos

Foto: Divulgação

Cultura, boa gastronomia e zelo no atendimento e na preparação dos pratos são alguns dos ingredientes que encantam os clientes e fazem o reconhecimento do restaurante Casa dos Contos, desde 1975. Com a estrutura constantemente aprimorada para melhor servir aos clientes, a casa prima pelos preparos dos pratos a la carte, sempre mantendo a essência do sabor, da tradição e da qualidade.

Da cozinha nascem os ícones da gastronomia belo-horizontina, tais como os requintados Filet à Novo Sul (filé grelhado recheado, ao molho madeira, com pasta de gorgonzola e ervas de Provença, purê de pêra, batata palha e arroz com passas) e Salmão Selvagem (salmão grelhado, risoto selvagem e batata sauté); e os tradicionais Filet à Parmegiana (filé empanado, molho ao sugo, mozarela, palmito, purê de batata e arroz) e o Filé à Piamontese (medalhão com bacon, arroz piamontese e batata frita). Experimentei este último e super recomendo. Uma delícia!

Foto: Divulgação

Em sua ambientação prevalece o charme e o forte clima cultural, social e político que expõe, mensalmente, diversas obras de artistas plásticos e reúne, constantemente, intelectuais e artistas. São mais de três décadas integrando a história da capital mineira. A Casa dos Contos foi fundada em outubro de 1975 pelo empresário Memo Biagi. A princípio funcionava na rua Santa Rita Durão, entre Pernambuco e Paraíba, numa antiga casa que acabou demolida para dar lugar a um prédio. Em 1984, o empresário Antônio Edmar Roque adquiriu o restaurante, que passou a adotar o perfil de cozinha variada. Com o tempo, a Casa dos Contos se tornou um ponto de referência para o encontro de profissionais do teatro, música, literatura e artes plásticas. Também por esta razão, a Casa dos Contos vem servindo informalmente como uma galeria de arte com programação regular.

Foto: Divulgação

História do Nome

Vinculada ao Ministério da Fazenda, a Casa dos Contos de Ouro Preto é um casarão de 1784, palco das arrecadações tributárias. Originalmente foi construída para residência de contratos do arrematante João Rodrigues de Macedo, uma das maiores fortunas da Colônia no século XVIII. Em 1792, encontrando-se Macedo em débito com a Real Fazenda o prédio se tornou patrimônio público. Preservando, hoje, a documentação econômico-fiscal do Ciclo do Ouro e a arquitetura barroca.

Foto: Divulgação

Atualmente, a Casa dos Contos se tornou sede disponível de um rico acervo cultural, promovendo as artes e a cultura nacional. O que antes servia ao fisco e à moeda vigente, hoje disponibiliza conhecimento histórico e artístico, abrigando um belo museu e salões destinados a conferências e exposições que divulgam um pouco mais esse amplo potencial cultural do estado das Minas Gerais.

Serviço:

Segunda, das 11h30 às 15h e das 18h às 02h; terça à quinta, das 11h30 às 2h; sextas e sábados, das 11h30 às 03h e aos domingos, das 11h30 à 1h.

Delivery

Em tempos de surto do Coronavírus, tanto o Cantina do Lucas quanto o Casa dos Contos estão investindo no serviço de delivery, garantindo assim a segurança de seus funcionários e clientes. Neste momento não podemos nos expor nas ruas, mas temos a opção de saborear pratos que fazem parte de nosso dia a dia pedindo pelo telefone. O isolamento social ficará bem mais leve!

Fones para Pedidos:

Casa dos Contos

31 3261.5853 / 31 99309.0057 e 31 99309.0116

Cantina do Lucas

31 3226.7153 / 31 99309.0047 e 31 99309.0126

 

 

Compartilhe