Donna Summer Musical: superprodução volta para São Paulo!

Apresentado pelo Ministério do Turismo e pela Santander Seguros e Previdência, o espetáculo DONNA SUMMER MUSICAL anuncia nova data de reestreia em março. A partir do dia 18 de março, o elenco original volta ao palco do Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi, em São Paulo, após um ano de espera, quando teve a temporada suspensa na semana seguinte à sua estreia por determinação das autoridades sanitárias para combate à pandemia. Acompanhe  gente também no Instagram, onde você pode receber várias dicas de viagem e conhecer paisagens incríveis! É só clicar AQUI!

Fotos/Divulgação: Caio Gallucci (cedidas pela Assessoria de Imprensa do Evento)

Inicialmente prevista para começar em 18 de fevereiro, a nova temporada foi adiada devido ao impacto da pandemia, para se adequar aos protocolos do Governo de São Paulo. Dirigido por Miguel Falabella e estrelado por Jeniffer Nascimento, que interpreta a diva no auge da carreira – Disco Donna, por Karin Hils, que dá vida à Diva Donna e pela atriz revelação Amanda Souza, que interpreta a Donna Jovem, o espetáculo seguirá uma nova rotina com limitação de público a 40% de ocupação da plateia.

Para que o público possa escolher com mais comodidade, haverá nesta temporada seis sessões semanais – quintas e sextas-feiras às 20h, sábados às 16h30 e 20h e domingos às 16h e 19h30. Ingressos já estão à venda em sympla.com. Confira as informações sobre venda de ingressos em SERVIÇO abaixo.

Para zelar pela segurança e saúde de seu público e funcionários, os cuidados começarão nos bastidores, com toda a equipe sendo testada periodicamente, e além do distanciamento e da obrigatoriedade do uso de máscaras para todos, haverá medição de temperatura, tapetes sanitizantes e secantes para ingresso no teatro e dispensers de álcool em gel estarão disponíveis em vários lugares do espaço. O teatro trabalhará com o mapa de lugares em xadrez e a saída também será organizada por fileiras para evitar aglomerações, de acordo com os protocolos para a volta das atividades presenciais.

 O Espetáculo

“Donna Summer Musical” estreou na Broadway em março de 2018, com enorme sucesso de público e crítica. Sua montagem no Brasil tem o mesmo status de superprodução. Além das três atrizes principais e do elenco com 23 atores e bailarinos, escolhidos em audições, o espetáculo tem um imponente cenário de 260m² e 13 toneladas, construído com muitos espelhos e um impressionante jogo de iluminação. Para recriar as muitas fases da vida da cantora, o elenco usa mais de 50 perucas e cerca de 200 diferentes peças de figurino.

Com  direção geral de Miguel Falabella e direção musical de Carlos Bauzys, o espetáculo é mais uma realização da Atual Produções e da Bárbaro!, responsáveis, entre outros, pelos musicais “We Will Rock You Brazil”, “Alegria Alegria”, “Hebe, O Musical” e “Zorro – Nasce uma lenda”. Com texto original de Colman Domingo, Robert Cary & Des McAnuff e músicas de Donna Summer, Giorgio Moroder & Paul Jabara, o musical retrata a vida eletrizante da diva, seus amores tempestuosos e hits planetários que a fizeram uma das mais importantes personalidades da história da música mundial, mostrando três fases de sua trajetória: Jovem Donna, na juventude, Disco Donna no auge do sucesso e Diva Donna, nos seus 50 anos e ainda no topo de sua carreira.

Na trilha sonora do espetáculo, que aborda temas como o racismo, igualdade de gênero e empoderamento feminino, estão os sucessos mundiais da grande estrela, músicas que já fazem parte do inconsciente coletivo das pessoas, como “I feel love”, “Love to love you baby”, “MacArthur Park”, “On the Radio”, “Bad Girls”, “She works hard for the money”, “Hot Stuff” e “Last Dance”, para citar somente algumas! Na ficha técnica do espetáculo, que fará temporada no Teatro Santander, localizado no Complexo JK Iguatemi, em São Paulo, a partir de 18 de março, estão, além de Miguel Falabella como diretor geral, Carlos Bauzys assinando a direção musical, Bárbara Guerra a coreografia, Zezinho e Turíbio Santos a cenografia, Richard Luiz o videocenário. A iluminação é de Caetano Vilela, o design de som de Tocko Michelazzo, os figurinos de Theo Cochrane e o visagismo de Anderson Bueno e Simone Momo. A versão brasileira é de Bianca Tadini e Luciano Andrey.

As Protagonistas

Karin Hills

Cantora e atriz, Karin Hils ficou conhecida nacionalmente por ter sido uma das integrantes da banda Rouge, um grande sucesso na música popular brasileira, vendendo mais de 1,5 milhão de copias de seu primeiro álbum. No teatro, foi protagonista dos musicais “Hair” e “Mudança de Hábito”. Na televisão participou de minisséries como “Pé na Cova” e “Sexo e as Negas”, na TV Globo, e da novela “Carinho de Anjo”, no SBT.

Jennifer Nascimento

Jeniffer Nascimento iniciou a carreira no teatro em versões brasileiras dos musicais “Hairspray”, “Hair” e “Mamma Mia”. Fez parte do grupo Girls, entre 2012 e 2014, e já participou de várias produções televisivas entre elas “Malhação”, “Êta Mundo Bom” e “Pega Pega”. Entre setembro e novembro de 2018, teve a oportunidade de mostrar seu enorme talento como cantora, ao vencer a segunda temporada do programa POPSTAR. Este ano, Jeniffer também apresentou a mais recente temporada do THE VOICE.

Amanda Souza

Nas audições também foi escolhida a terceira atriz que irá viver a personagem título, na fase mais jovem de sua vida: Amanda Souza, uma paulista de São Caetano do Sul, de 26 anos, com formação em piano clássico, canto erudito e passagem pela Academia de Ópera do Theatro São Pedro. Depois de participar das montagens de “A Flauta Mágica”, “L’Élixir d’Amour”, “Sonho de uma Noite de Verão” e “A Viúva Alegre”, no Theatro Municipal de São Paulo, ela mergulhou em aulas de canto para poder se candidatar a uma vaga no elenco do musical, e acabou escolhida para um dos papéis título.

Os demais personagens serão vividos por Edson Montenegro, André Loddi, Marcel Octavio, Amanda Vicente, Vanessa Mello, Leticia Nascimento, Tiss Garcia, Joyce Cosmo, Leilane Teles, Mariana Saraiva, Debora Polistchuck, Mariana Gomes, Rafael Machado, Rafael Leal, Daniel Caldini, Ygor Zago, Lucas Nunes, André Luiz Odin, Renato Bellini, Andrezza Medeiros, Fernando Marianno e Ágata Matos.

Donna Summer

Donna Arian Gaines nasceu em Boston em dezembro de 1948. Aos 10 anos cantou pela primeira vez em público, num coral de igreja, impressionando a todos que a ouviram. Aos 19 anos, mudou-se para a Alemanha, e lá participou da montagem do musical “Hair”. Em 74 se casou com o ator austríaco Helmuth Sommer, e mesmo depois do divórcio, mantém seu sobrenome, mudando a ortografia para Summer.

Neste mesmo ano, acontece um encontro que mudaria a vida da cantora: ela assina contrato de gravação com os produtores e compositores Giorgio Moroder e Pete Bellotte. Depois de lançarem uma série de sucessos na Europa, Donna, Giorgio e Pete escrevem “Love to Love You Baby”, que é seu primeiro sucesso americano. Em 78 Donna grava “Last Dance”, escrito por Paul Jabar, e eles ganham o Oscar. Alguns anos depois, Paul escreve outro dos maiores sucessos de Donna, “No More Tears (Enough Is Enough)”, gravada em dueto com Barbra Streisand.

Em 1977, Donna lança o single “I Feel Love”, um grande sucesso, que para muitos é a invenção da dance music eletrônica. Donna aliás era versátil em vários gêneros. Embora ela seja conhecida como a rainha da pista de dança, seus hits incluem rock (“Hot Stuff”), pop (“MacArthur Park”), new age (“The Wanderer”), funk (“Love is in Control”), R&B (“Heaven Knows”), entre outros.

Muitas das músicas de Donna são inspiradas por pessoas que ela conhecia. “Bad Girls”, seu hit número um mais antigo, é criado depois que uma das assistentes de Donna é assediada por um policial que a confunde com um andarilho de rua. Donna é uma das autoras da música, transformada em um hino rebelde. “She Works Hard for the Money”, outro de seus grandes sucessos, surgiu depois de seu encontro com Onetta Johnson, uma atendente de restaurante de Los Angeles, e foi o primeiro vídeo de uma mulher negra a ser reproduzido em grande rotação na MTV.

Em 1980, os Grammys deram prêmios nas categorias de Rock pela primeira vez. “Hot Stuff” ganhou o prêmio de Melhor Performance Vocal Feminina do Rock, fazendo dela a primeira mulher a ganhar um Grammy no campo do Rock. Donna foi indicada a 18 prêmios Grammy e ganhou cinco, em quatro gêneros diferentes: rock, dance, R&B e Inspirational. Em 1989, depois de anos escrevendo canções e desenhando suas próprias roupas, Donna começa a exibir suas pinturas em galerias em todo o país, sendo apontada como uma artista visual notável. Em 1992 ganha uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood.

Donna faleceu em 17 de maio de 2012 e, em 2013, foi finalmente introduzida no Hall da Fama do Rock and Roll. Em 2012, a Biblioteca do Congresso adicionou “I Feel Love” ao Registro Nacional de Gravação, sinalizando sua posição como uma obra de arte historicamente importante. Após a sua morte, um grande número de artistas prestou homenagem a Donna, incluindo Aretha Franklin, Dolly Parton e Barbra Streisand. Beyoncé falou publicamente sobre o quanto sua própria música foi inspirada no exemplo de Donna.

 

Serviço

Data: a partir de 18 de março de 2021 até 20 de junho de 2021

Local: Teatro Santander (Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041 – Itaim Bibi, São Paulo)

Horário: quintas e sextas-feiras às 20h, sábados às 16h30 e 20h e domingos às 16h e 19h30.

Duração: 1h40 minutos sem intervalo

Classificação: 12 anos

Valor dos ingressos: De R$ 75,00 a R$ 280,00

Vendas: SYMPLA.COM

Clientes Santander tem 30% de desconto nos ingressos inteiros, limitados a 2 por CPF

Compartilhe